Maranhão na tela

Loading...

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A Palavra Acesa de José Chagas

V.A. - A Palavra Acesa de José Chagas

 José Chagas (fragmento de Os Telhados, 1965)


"José Chagas, paraibano que escolheu São Luís para morar na década de 40 ganhou mais que uma nova cidade, uma musa constante para os versos. Aos 89 anos, a poesia ainda brota da inspiração de José Chagas. Por isso, ganhou até o título de cronista da capital maranhense.
Mas a poesia de chagas tem também melodia. A descoberta foi feita pelo cantor e compositor Zeca Baleiro e pelo poeta Celso Borges. Eles transformaram em música, poemas de José Chagas.
E cada música foi entregue para um cantor convidado. O resultado do trabalho está no CD A Palavra Acesa de José Chagas. 'O projeto surgiu entre uma conversa informal entre mim, Celso Borges e André, amigos queridos e entusiastas das fãs da poesia do Chagas, como eu, que é um poeta que já fazia música antes de fazer. Primeiro porque a poesia dele tem muito ritmo, muito musical', explicou Baleiro.
Para os idealizadores do projeto, o objetivo não é fazer somente uma homenagem ao poeta, é celebrar a poesia de Chagas. 'Esse trabalho tem um espírito de afeto enorme, de generosidade de todos os músicos que participaram. Foi um ano e meio de muito trabalho, mas também de muito prazer', disse Celso Borges".

http://www.4shared.com/rar/0ov7q6OK/VA_-_A_Palavra_Acesa_de_Jos_Ch.html 
V.A. - A Palavra Acesa de José Chagas


Assis Medeiros - Os Canhões do Silêncio (do livro Os Canhões do Silêncio, 1979)

Adaptação: Cassio Oliveira
Fonte: http://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2013/12/poemas-de-jose-chagas-sao-musicados-e-viram-cd.html

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Loopcinico

L o o p c i n i c o
  
          As tradições culturais do Maranhão e Pará constroem uma ponte sonora efervescente: um disco leve e denso ao mesmo tempo onde oito ritmos ancestrais do Maranhão se entrelaçam com o tempero sensual da Amazônia das Guitarradas, do Carimbó paraense e do Marabaixo do Amapá, nas faixas Curimbóbatá e Coroa do Divino. A poliritmia dos tambores e maracás gravados por Luiz Cláudio é o motor deste barco sonoro que cruza os rios e igarapés carregando iguarias de efeitos e programações eletrônicas de Beto Ehongue, temperos de letras e voz de Lobo Siribeira, e banhos de ervas de sintetizadores de Thiago Albuquerque, e guitarradas paraenses de Luiz Felix Robatto. Loopcinico remonta de maneira contemporânea à história musical e ancestral de índios, negros e brancos nos trópicos.

http://www.4shared.com/rar/v0XbgceK/Loopcinico_-_Loopcinico__up_Dj.html
 Loopcinico - Loopcinico 
 
Loopcinico - Maquiô


Adaptação: Cassio Oliveira
fonte: https://www.facebook.com/loopcinico
http://www.tratore.com/um_cd.php?id=6124

sábado, 5 de outubro de 2013

Unidade Punho Forte



O cantor maranhense, vocalista da banda carioca Unidade Punho Forte, José Rodrigues, faz sucesso com as pedras: Para Deuses Humanos, Boas Ações, Reggae e Flores Para Vocês, Mulheres, Bons Sonhos, Ave Rara e Ancestrais.
 Banda – A Unidade é formada pelo vocalista José Rodrigues, por Josael Guimarães (guitarra), Marcelo Alves (guitarra), Gaudino Marcio (bateria), Wagner Roots (bateria), Fábio Rodrigues (percussão) e Marcio Baba (contrabaixo). Rodrigues mora há 30 anos em Niterói (RJ) e há 14 anos fundou a banda na cidade. O cantor relata que eles foram pioneiros ao levar a filosofia rastafári para o local.
“A proposta é utilizar o reggae para fazer músicas conscientizadoras, que lutem contra o preconceito e preguem ideais de igualdade e paz”, disse ele. O grupo tem um público consolidado no estado e já dividiu o palco com bandas como Natiruts, The Gladiators e The Conors. O primeiro álbum da banda Para deuses humanos foi lançado em 2001; o segundo Reggae pelo Brasil, em 2005 e o terceiro Perfil reggae” em 2008, teve boa repercussão.

 
Unidade Punho Forte - A Vida é Assim 

Unidade Punho Forte - O Reggae No Meu Samba




 
Unidade Punho Forte - Para Deus e Os Homens (Reggae Pelo Brasil)

Unidade Punho Forte - Reggae Flores Para As Mulheres


Adaptação: Cassio Oliveira
Fontes: http://www.universidadefm.ufma.br/?p=9924                                                                              https://www.facebook.com/UnidadePunhoForte

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Adaga - Música Para o Mundo

Coletânea Adaga, com presença de várias bandas da cena atual das baladas de São Luis; Volume 1 - Música Para o Mundo, conta com 13 faixas bem produzidas:
01. Gallo Azhuu - Amor

02. Vinil do Avesso - Vida Real 

03. Saga Dos Salientes - Gato Imundo

04. Velttenz - Jimi

05. Megazines - The Golden Boy

06. Fúria Louca - The Criminal Novel

07. Farol Vermelho - Liberdade Não Tem Preço

08. Utrason - E Se

09. Heriverto Nunes - Samba de Esquecer

10. Pedeginja - Talvez

11. Ryc Bondinho - Flecha

12. Casa Louca - Dois Contra o Mundo

13. Emílio Sagaz - 3 Ponteiros


Coletânea Adaga - Música para o Mundo Vol. 1

Adaptação: Cassio Oliveira

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Gallo Azhuu

      A Gallo Azhuu é uma banda maranhense que já tem em seu currículo participações em festivais por todo o Brasil. Formada por Pataugaza (guitarra e vocal), Moaci Junior (Guitarra), André Grolli (baixo) e Denis Carlos (bateria), a banda faz um rock’n’roll influenciado por blues e rock clássico setentista, com letras sobre sexo “Amor”, “Praia”, “Um Filho Em Você”, psicodelia “O Homem-Árvore”, “Platypus” e o sobrenatural “Espingarda”, “Mansão dos Mortos”.

Gallo Azhuu - Gallo Azhuu

Gallo Azhuu - Hippie Rico

Adaptação: Cassio Oliveira

sábado, 29 de junho de 2013

Bumba Meu Boi de Maracanã

Um dos maiores e mais antigos grupos do estado do Maranhão, há mais de 100 anos o Bumba meu Boi de Maracanã leva suas centenas de integrantes as ruas e arraiais de São Luís.







Bumba Meu Boi de Maracanã - Lira Sagrada 2013

Adaptação: Cassio Oliveria

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Bumba Meu Boi Unidos de Santa Fé


"A fundação do Bumba meu boi Unidos de Santa Fé é atribuída a José de Jesus Figueiredo, o “Zé Olhinho”. Nascido no município de São Vicente de Férrer, na baixada maranhense, o atual amo do Boi de Santa Fé mudou-se para a capital em abril de 1955. No início dos anos 1960, ele começou a participar do Boi de Pindaré, onde se destacou como cantador.Algum tempo depois, Zé Olhinho acabou se desligando do grupo e criando o “Boi de Pindaré 2”, que mais tarde mudou de nome para o atual Boi Unidos de Santa Fé. A brincadeira nasceu dentro da comunidade do Bairro de Fátima. No começo, os 45 brincantes se reuniam no Barracão da Escola de Samba Unidos de Fátima, que foi cedido pelo diretor da escola até que o grupo adquirisse uma sede própria.Hoje, a brincadeira conta com quatro CDs lançados e, aproximadamente, 160 integrantes. “O Boi de Santa Fé é uma casa aberta. Todo momento chega gente e sai gente”, diz Zé Olhinho com orgulho". 
Balança Terreiro
Bumba Meu Boi Unidos de Santa Fé homenageando os 400 anos de São Luis e os 25 anos de existência da brincadeira.

Nathalia Ferro

Nathalia Ferro - Instante

     Nathalia Ferro é apenas um dos novos talentos da música maranhense, mas já mostra um trabalho de extrema qualidade e bom gosto. Influenciada por bons músicos da MPB e também qualquer bom maranhense, o reggae; Nathalia mostra um trabalho eclético com base em várias fontes, do rock progressivo até clássicos dos anos 80. O “Instante” que possui 05 faixas, sendo elas autorais, com os parceiros André Grolli (baterista da banda) e Rommel Ribeiro além de uma canção do compositor Paulo César Linhares, foi produzido por músicos que souberam, com criativa sensibilidade e enorme liberdade, pintar o som de uma artista forte, feminina, fugidia e extremamente sensual, pouco preocupada com o que deve ser, mas em total intimidade com o que é. 
Instante by Nathalia Ferro

Adaptação: Cassio Oliveira
Fonte: http://jornalpequeno.com.br/2013/05/08/ouca-instante-primeiro-ep-de-nathalia-ferro/

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Celso Borges

     Antonio Celso Borges Araujo é de São Luís do Maranhão, onde nasceu em 1959. Poeta, jornalista e letrista, viveu em São Paulo durante 20 anos e retornou a São Luís em 2009. Produziu vários livros de poesia: "Pelo Avesso" (1985), "Persona Non Grata" (1990), "Nenhuma das Respostas Anteriores" (1996), "XXI" (2000), "Música" (2005), e "Belle Époque" (2011), os três últimos no formato de livro-CD, com a participação de mais de 50 poetas e compositores de várias cidades brasileiras.
     Não se deixe levar apenas pelo que diz o título do livro-CD. Isso é só uma parte daquilo que ele tem a oferecer. “Música” é um livro que traz de maneira perfeita a intersecção entre música e poesia. Com experimentações sonoras, fragmentações de poemas, “reconstrução de novos ” e poesia ritmada. Escrito pelo jornalista e poeta maranhense Celso Borges, o “livro” conta ainda com as vozes de Zeca Baleiro, Josias Sobrinho, Chico Cesar, entre outros.
Citações de escritores maranhenses (tal qual o poeta Nauro Machado), exaltações a fatos históricos e críticas à São Luís também fazem parte que nos atrai também pela sua parte visual, com o jogo entre palavras e cores muito bem representado pelas imagens do livro-CD.
Até certo ponto provocador e inquietante, o “Música” leva o leitor a uma nova dimensão do que pode ser lido, visto ouvido e sentido.
Capa do Livro: Música

Capa do CD: Música

Adaptação: Cassio Oliveira